Arquivo de julho \24\UTC 2011

Fone de Ouvido: Amy Winehouse

Com certeza, se você é leitor dos nossos parceiros: Revista Absurda e Microfonia Pop, vai estranhar esta coluna na Rede Além, mas esta é uma edição especial.

Como se sabe, a cantora inglesa Amy Winehouse foi encontrada morta em sua casa às 16h (horário de Londres; 12h em Brasília) deste sábado, em Londres.

Amy pode ter morrido por causa de uma overdose, que pode ser confirmada amanhã, na autopsia que será realizada pela Poícia Inglesa.

A cantora tinha 27 anos e possuía um longo histórico de uso de drogas e álcool. Sua única passagem por aqui foi em janeiro deste ano, para uma série de show, que passou por São Paulo, Recife, Florianópolis e Rio de Janeiro.

A última vez que a cantora tinha sido vista em público foi na quarta-feira à noite, quando Winehouse foi ao show de sua afilhada Dionne Bromfield no teatro "The Roundhouse", de Camden Town.

Amy Winehouse junta-se a Janis Joplin, Jimi Hendrix, Jim Morrison e Kurt Cobain, outros ídolos da música pop, graças a uma triste coincidência: todos morreram com 27 anos.

Confira aqui, a biografia de Amy Winehouse:

Filha de um taxista e uma farmacêutica, Amy Winehouse tinha um gosto excepcional pelo jazz. Aos 14 anos, acompanhava o irmão na guitarra e exibia os primeiros trejeitos de uma personalidade inquieta, decorrente em partes da separação dos pais quando tinha nove anos: colocou piercing no nariz, tatuou o corpo e finalmente foi expulsa da Sylvia Young Theatre School, onde estudava. Passou a frequentar outra escola, mas dois anos depois mergulhou na carreira artística. Apresentava-se em diversos clubes, chegando a gravar algumas demos.
O álbum de estreia “Frank”, em 2003, mostrou aos críticos que uma nova diva parecia despontar na música. Amy recebeu quatro prêmios no ano seguinte de melhor música contemporânea (Ivor Novello Awards) por “Stronger Than Me”, melhor artista solo feminina (BRIT Awards), melhor ato urbano (BRIT Awards) e melhor álbum do ano (Mercury Music Prize). Todas as músicas foram escritas por ela e marcadas por voz e estilo – um misto de jazz e hip hop – que impressionaram o público.
Em 2006, a cantora passou por uma mudança no visual. Adotou um penteado retrô, maquiagem marcante nos olhos bem ao estilo dos anos 1960, e roupas mais ousadas que influenciariam inclusive alguns estilistas depois. Seu segundo álbum, “Back to Black”, lançado no mesmo ano, tornaria a cantora famosa mundialmente. Também tornaria público o seu problema com drogas, expresso na música “Rehab” – um verdadeiro sucesso nas paradas pop dos Estados Unidos. Pelo trabalho, foi a primeira britânica a ganhar cinco Grammy Awards, em 2008, na mesma noite. A partir de então, tornou-se atração de eventos importantes como o tributo a Nelson Mandela.
Os problemas mais sérios com drogas impediram Amy de prosseguir normalmente com a carreira. Apresentações desastrosas no palco, uma voz completamente diferente do que o público havia conhecido e uma postura autodestrutiva (a cantora não escondia que tomava diferentes drogas) impediram que o terceiro álbum fosse produzido. Os próprios executivos da gravadora que representava a cantora não aceitaram suas novas canções. Aparentemente recuperada, Amy prometia um novo álbum para 2011. Mas o CD não saiu. A cantora foi encontrada morta em sua casa em Londres em 23 de julho de 2011.

Veja aqui as letras de quatro sucessos de Amy:

Stronger Than Me

You should be stronger than me
You been here seven years longer than me
Don’t you know you’re supposed to be the man
Not pale in comparison to who you think I am

You always wanna talk it through, I don’t care!
I always have to comfort you when I’m there
But that’s what I need you to do, stroke my hair!

Cos’ I’ve forgotten all of young love’s joy
Feel like a lady, and you my lady boy

You should be stronger than me
But instead you’re longer than frozen turkey
Why’d you always put me in control
All I need is for my man to live up to his role

Always wanna talk it through, I’m ok
Always have to comfort you every day
But that’s what I need you to do, are you gay?

Cause I’ve forgotten all of young love’s joy
Feel like a lady, and you my lady boy

He said ‘the respect I made you earn
Thought you had so many lessons to learn’
I said ‘You don’t know what love is, get a grip!’
Sounds as if you’re reading from some other tired script

I’m not gonna meet your mother anytime
I just wanna rip your body over mine
Please tell me why you think that’s a crime

I’ve forgotten all of young love’s joy
Feel like a lady, and you my lady boy

You should be stronger than me
You should be stronger than me
You should be stronger than me
You should be stronger than me  

Back to Black

He left no time to regret
Kept his dick wet
With his same old safe bet
Me and my head high
And my tears dry
Get on without my guy
You went back to what you knew
So far removed from all that we went through
And I tread a troubled track
My odds are stacked
I’ll go back to black

We only said good-bye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to…..

I go back to us

I love you much
It’s not enough
You love blow and I love puff

And life is like a pipe
And I’m a tiny penny rolling up the walls inside

We only said goodbye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to

Black, black, black, black, black, black, black,
I go back to
I go back to

We only said good-bye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to

We only said good-bye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to black

Rehab

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black but when I come back you’ll know, know, know
I ain’t got the time and if my daddy thinks I’m fine
He’s tried to make me go to rehab,but I won’t go, go, go

I’d rather be at home with Ray
I ain’t got seventy days
‘Cause there’s nothing, there’s nothing you can teach me
That I can’t learn from Mr. Hathaway

I didn’t get a lot in class
But I know we don’t come in a shot glass

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black but when I come back you’ll know, know, know
I ain’t got the time and if my daddy thinks I’m fine
He’s tried to make me go to rehab,but I won’t go, go, go

The man said, "Why do you think you’re here?"
I said, "I got no idea"
I’m gonna, I’m gonna lose my baby
So I always keep a bottle near

He said, "I just think you’re depressed"
Kiss me, yeah baby and go rest"

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black but when I come back you’ll know, know, know

I don’t ever wanna drink again
I just, ooh, I just need a friend
I’m not gonna spend ten weeks
Have everyone think I’m on the mend

And it’s not just my pride
It’s just ‘til these tears have dried

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black and when I come back you’ll know, know, know
I ain’t got the time and if my daddy thinks I’m fine
He’s tried to make me go to rehab,but I won’t go, go, go

You Know I´m No Good

Meet you downstairs in the bar and heard
Your rolled up sleeves and your skull t-shirt
You say what did you do with him today?
And sniff me out like I was Tanqueray

‘Cause you’re my fella, my guy
Hand me your stella and fly
By the time I’m out the door
You’re ten men down like Roger Moore

I cheated myself
Like I knew I would
I told ya, I was trouble
You know that I’m no good

Upstairs in bed, with my ex boy
He’s in the place, but I can’t get joy
Thinking of you in the final throes, this is when my buzzer goes

Run out to meet you, chips and pitta
You say we’ll marry ‘cause you’re not bitter
There’ll be none of him no more
I cried for you on the kitchen floor

I cheated myself
Like I knew I would
I told ya, I was trouble
You know that I’m no good

Sweet reunion, Jamaica and Spain
We’re like how we were again
I’m in the tub you on the seat
Lick your lips as I soak my feet

Then you notice little carpet burn
My stomach drop yeah and my guts churn
You shrug and it’s the worst
To truly stuck the knife in first

I cheated myself like I knew I would
I told ya I was trouble, you know that I’m no good
I cheated myself, like I knew I would
I told ya I was trouble, you know that I’m no good

Com informações do Último Segundo/iG e do Vagalume

Rede Além dos 140 Caracteres: a rede de blogs que vai Além, para quem quer ir mais Além.

Crônicas Além do Absurdo: Edição Especial do Dia do Amigo

Ontem, 20 de julho, foi o Dia Internacional da Amizade, ou, no popular, o Dia do Amigo.

E olha, eu posso dizer que a Rede Além tem quatro bons motivos para seguir em frente:

1 – Papo de Bola – O Site

Eu conheci o Papo de Bola, em 2010, através da coluna mantida no site Na Telinha, daí, passei a acompanhar o site, onde pude ver mais sobre a mídia esportiva e não- esportiva, sobre o futebol e os esportes em geral, e etc… Passei a seguir o editor do site no Twitter, no caso, Edu César,  então, passei a dar ideias, avisar o Edu sobre as colunas, e pedir para ler os meus escritos. Apesar dele ser gaúcho, a distância entre Porto Alegre e Belo Horizonte se torna pequena, graças à essa amizade(parceria).

2 – Revista Absurda

No meio do ano passado, eu conheci a Revista Absurda, através do próprio blog, então, passei a incluir a Absurda no blogroll(junto com o outro blog do qual vou falar já). Em vez de receber um e-mail, o Além, e eu, fomos homenageados em um dos posts do blog, no mesmo ano, passei a seguir a Absurda no Twitter. Em 2011, já como rede de blogs, o Além criou o quadro Crônicas Além do Absurdo, onde abordamos determinados assuntos sob a nossa ótica, e seguindo à risca, o roteiro original do quadro da Absurda. O autor do blog é de São Luís, mas apesar da distância, estamos juntos por meio de mais esta amizade(parceria).

3 – Microfonia Pop

Foi também no meio do ano passado onde fui apresentado ao Microfonia Pop, inclui, então, o Microfonia e a Revista Absurda no Blogroll da rede. Em vez de receber um e-mail, o Além, e eu, fomos homenageados em um dos posts do blog, no mesmo ano, passei a seguir  o Microfonia e o seu autor, Jailson Souza no Twitter. Agora, em 2011, voltando a acessar o Microfonia, um momento de grande emoção: vi a filial do BliG/Wordpress como um dos parceiros do blog. No inicio do mês, pedi para o Jailson reproduzir o post sobre a saga de Eduardo Sterblitch, do Pânico na TV, e fui muito bem atendido. Por estes dois últimos motivos, o Microfonia cresceu no conceito: de mero representante do nosso Blogroll a Parceiro Master da nova rede de blogs do Brasil, além disso, ganhei um amigo arretado, lá da Paraíba!

4 – Acesso Livre

Pra você que eu conheci todos estes amigos(e parceiros) no meio do ano passado, inclusive Yago Sales, que, no Twitter, me pediu para indicar no microblog, e no Além, o Acesso Livre, fiz o que foi pedido e, lógico, ele ficou muito feliz. Hoje, o Yago me segue e o Acesso também é parceiro do Microfonia Pop. O Yago é de Goiânia, mas de que imprta a distância, se estamos juntos em uma parceria(e uma amizade) que informa muita gente?

Esta é uma homenagem da Rede Além aos amigos(e parceiros) que nos ajudam a ir mais Além, para quem quer ir mais Além.

Torcer ou não para o Paraguai? Eis a questão

É, o sonho do tri na Copa América foi enterrado, por completo.

Depois de um jogo sem gols nos dois tempos, e na prorrogação, a vaga para as semifinais foi decidida na loteria mais  conhecida do futebol: a dos penais.

Os brazucas erraram todas, eu disse todas as penalidades. Já os paraguaios erraram só uma, converteram duas e não precisaram cobrar a última, pois o Brasil jogou pra fora todas as esperanças de ir mais longe na competição.

Agora, para alguns de nós, machos brazucas, estamos em dúvida: torcer ou não para o Paraguai? Aqui estão os moivos: um para não torcer, já o outro, para torcer pelo time do país mais falsificado que se tem notícia:

1-) Pra não torcer: óbvio, os paraguaios foram os nossos carrascos, pois, afinal de contas, perdemos nos penais.

2-) Pra torcer: outra obviedade:

37

Sim, meus amigos, Larissa Riquelme, a musa da copa, a mesma que encantou o mundo(menos Edu César) com o celular entre os generosos seios(Ah, aqueles seios…), prometeu, que se o Paraguai fosse campeão, iria tirar a roupa mais uma vez.

Bom, até o fim da Copa América darei o veredicto, o Edu, lógico, não vai torcer para o Paraguai, nem pra ver Larissa, mais uma vez, nua(já sei, tomou uma birra tremenda, não é Edu?)

Agora, eu deixo com vocês, meus queridos leitores.

Além dos 140 Caracteres: a rede de blogs que vai Além para quem quer ir mais Além.

Crônicas Além do Absurdo: A fé (e a exploração) sem idade na Universal

Vejam até onde vai a fé, a ingenuidade e a burrice(opinião minha) de algumas (pequenas) pessoas(matéria extraída da Folha.com):

Bispo da Universal incentiva criança a dar brinquedo à igreja

Uma criança de nove anos é incentivada por um bispo da Igreja Universal do Reino de Deus a vender seus brinquedos e doar o dinheiro à igreja para que os pais parem de brigar. Enquanto isso, sua mãe é exorcizada no altar.

A cena ocorreu em culto da Universal em Santo Amaro, zona sul de São Paulo, e está sendo exibida em vídeo no blog do bispo Edir Macedo, fundador e líder da igreja.

A Universal foi procurada ontem para comentar o vídeo, mas não deu retorno até o fechamento desta edição.

No vídeo, o menino conta ao bispo Guaracy Santos que seus pais têm brigado com frequência. O bispo pergunta que sacrifício ele fará pelos pais. "Eu vou dar tudo que eu tenho", responde a criança. Guaracy devolve: "E o que é tudo que você tem?". "Brinquedo", diz o menino.

O bispo insiste: "Você vai vender?". A criança diz que sim, e Guaracy pergunta, referindo-se ao dinheiro: "Pra colocar onde?" "No altar", promete a criança.

Em seguida, sua mãe aparece em crises de convulsão, sendo segurada por um obreiro da Universal. O bispo diz que ela tem "o demônio" e "uma praga". Depois, incentiva a criança a se aproximar. "Vai lá perto e fala: acabou pra você, diabo."

E conclui: "Seja fiel, vende o que você tem. Tem fé pra isso? Vai na tua fé".

Especialistas disseram à Folha que, embora não haja um artigo que trate explicitamente do caso, o vídeo fere os princípios do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) ao expor o menino a possíveis constrangimentos, mesmo com o rosto borrado.

DIREITO DA CRIANÇA

Ricardo Cabezón, presidente da Comissão de Direitos Infanto-Juvenis da OAB-SP, diz que o recurso não impede que o menino seja identificado por conhecidos.

"A criança deve ser poupada. Se a própria mãe está numa situação de incapacitada, nas mãos de outra pessoa, não se pode pegar uma criança para que ela explique o que está se passando."

A advogada Roberta Densa, que dá aulas sobre o ECA, avalia que o bispo se aproveita da condição "vulnerável" da criança. "É uma situação de manipulação."

Para João Santo Carcan, vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, o papel da igreja, ao tomar conhecimento de um problema desses, seria entrar em contato com os órgãos públicos de assistência social. "Ali tratam a criança como instrumento de receita", diz.

O vídeo foi postado no YouTube e noticiado ontem pelo jornal "O Estado de S. Paulo". Até ontem tinha 571 comentários no blog de Macedo, a maioria de fiéis da Universal. Muitos elogiam a "valentia" do garoto.

Bom, alguns vão achar que é exploração sobre uma pobre criança, outros acham que é burrice do próprio menino, que era para deixar para a mãe ou pai darem dinheiro para o dízimo, enfim… Eu não vou dizer nada, vou deixar para você, nosso caro leitor, refletir.

Além dos 140 Caracteres: a rede de blogs que vai Além para quem quer ir mais Além.

Crônicas Além do Absurdo: Vai tudo virar crente?(Baseado no texto “Deus nos livre de um Brasil evangélico de Ricardo Gondim)

Este post vai ao ar com uns dois meses de atraso. A explicação: Eu estava em um sítio, localizado em Juatuba, quando ouvi uma música que tinha este nome: “Vai tudo virar crente”, se não me engano, quem canta esta pérola do cancioneiro gospel nacional é Ludimila Ferber.

Rumino esta canção desde então, porém, me lembrei de um texto escrito pelo jornalista Ricardo Gondim, o que me deu coragem para escrever sobre o meu pavor de ver o Brasil  se tornar evangélico. A mensagem subliminar da música, para quem conhece a cultura do movimento, era de que os evangélicos sonham com o dia quando a cidade, o estado, o país se converterem em massa e a nossa pátria amada se transformar num país legitimamente evangélico.

O sonho que é afirmado, tanto no artigo do Ricardo, quanto aqui, é que impere o movimento evangélico, mas, na verdade, a gente se refere a esse subgrupo do cristianismo e do protestantismo conhecido como Movimento Evangélico. E para eles, não importa que haja um avanço gigantesco entre católicos ou ortodoxos. Para “ser do Senhor Jesus”, o Brasil deve virar "crente", com a cara deles, os evangélicos. (acabamos de bater três vezes na madeira).

Não é preciso imaginar uma Genebra brasileira para ficar com o medo de ver o nosso país virar “crente”. Há uma turma que, como o Ricardo diz, anseia por um “puritanismo moreno”, porém nos perguntamos: como é que essa turma iria tratar grandes nomes da nossa MPB, como Ney Matogrosso, Gal Costa, Caetano Veloso, entre outros, e os novos nomes, caso de Maria Gadú, Maria Rita, Roberta Sá, como ficam?

Qual seria o destino de grandes sucessos como “Carinhoso”, do Pixinguinha? É melhor nem falar.

Será que prevaleceriam as paupérrimas poesias do cancioneiro gospel? Existem algumas músicas compostas pelos evangélicos que eu gosto de ouvir, algumas até caíram no gosto popular, como “Faz um milagre em mim”, do Régis Danese, outras foram regravadas por astros da música católica, como por exemplo: “Segura na mão de Deus”, antes composta por R.R Soares, depois, um hit na voz do padre Marcelo Rossi e, “Restitui”, composta e gravada pela banda Toque no Altar(se não me engano) e regravada pelo padre Hewaldo Trevisan.

O Ricardo perguntou se as rádios iriam tocar sem parar músicas evangélicas, então, eu respondo, se fomos olhar o avanço das emissoras evangélicas no dial, este pesadelo pode virar uma triste realidade (aliás já é uma triste realidade, pois existem, segundo o Tudo Rádio, as seguintes redes evangélicas: Rede Aleluia, da Igreja Universal,  com (pasmem!) mais de 70 emissoras, Nossa Rádio, da Igreja da Graça com 14 emissoras, Deus é Amor (ou A Voz da Libertação), da Igreja de mesmo nome, com 29 emissoras, Novo Tempo, Adventista, com 19 emissoras, Melodia, no RIo de Janeiro (97.5); em Maceió (90.1) e na região de Catanduva (102.7), Sara Brasil, da Sara Nossa Terra com 8 emissoras: Brasília (99.7); Goiânia (93.9); Curitiba (107.5); Porto Alegre (95.5);  Florianópolis (89.1); Angra dos Reis (105.9); Aracajú (97.1) e São Paulo (101.3), além das novatas: Sê Tu Uma Bênção, da Mundial, em São Paulo (98.1); São José do Rio Preto (102.5); Santos (102.1); Belo Horizonte (90.1) e Curitiba (92.9), e Vida, da Paz e Vida, já com 4 emissoras: São Paulo (96.5), Maceió (99.1), João Pessoa(101.1), que estreou na semana passada, e Porto Alegre (105.9), além das incontáveis emissoras pertencentes à Igreja do Evangelho Quandrangular, a Asembléia de Deus, e por aí afora, tanto em AM e FM, e o nosso pavor vai aumentar, pois vem aí a rede AD Brasil, da Assembléia de Deus, e mais expansões, nos casos das redes Deus é Amor, Nossa Rádio, Sê Tu uma Bênção, Vida, Rede Aleluia e, quem sabe, Sara Brasil e Novo Tempo).

Se o nosso país virar, realmente, evangélico, teremos um cerco à boemia, pois, já ouvi que o pessoal da Igreja Batista da Lagoinha sempre vai nas Praças da cidade, nas noites de sábado, converter quem está lá, e vai abrir uma casa de apoio na Guaicurus. Podemos perder todo o acervo de Vinícius de Moraes, aí, pergunto também: Quem, entre puritanos, carimbaria a poesia de um ateu como Carlos Drummond de Andrade?

Como sabemos, os metodistas já investem em educação, então, já podemos ter um esboço da educação universitária evangélica neste país:

Os chanceleres denominacionais cresceriam, como verdadeiros fiscais, para que se desqualificasse o alucinado Charles Darwin. Facilmente se restabeleceria o criacionismo como disciplina obrigatória em faculdades de medicina, biologia, veterinária. Nietzsche jazeria na categoria dos hereges loucos e Derridá nunca teria uma tradução para o português.

Mozart, Gauguin, Michelangelo, Picasso? No máximo, pesquisados como desajustados para ganharem o rótulo de loucos, pederastas, hereges.

Com o Brasil evangélico, o folclore cairia por terra: não teremos mais o bumba-meu-boi, o carnaval, as festas juninas, as procissões de fé, os dias dedicados aos santos, e etc. Todos os ritmos músicais seriam dedicados exclusivamente à “adoração”: frevo, samba, sertanejo, rock, pop, enfim… as comidas típicas não existiriam mais, não teríamos o costume de ir à praia, e etc… Com um Brasil dominado pelos crentes, não teríamos tempo, nem para o futebol, vejam só!

Um Brasil evangélico significaria a vitória do fisiologismo político; basta uma espiada no histórico de Suas Excelências pertencentes à Bancada dos Fiscais do Fiofó Alheio(bancada evangélica)  nas Câmaras, Assembleias e Gabinetes para saber que isso aconteceria.

Muito do que se entende por espiritualidade e moralidade não passa de cópia malfeita da cultura do Norte, então, se o país virar evangélico, seria a vitória do chamado “american way of life”. 

Um Brasil evangélico acirraria o preconceito contra a Igreja Católica(que segundo o professor Felipe Aquino, é a verdadeira Igreja, pois foi fundada por Jesus Cristo) e viria a criar uma elite religiosa, os ungidos, mais perversa que a dos aiatolás iranianos.

Os membros da Universal (ou Deus é Amor) , ou alguns da Igreja da Graça, ou de qualquer outra igreja evangélica, sempre criticam a Rede Globo, mas aí penso como devem ser as emissoras lideradas por eles(Record, Rede Família, Record News, Rit, Rede Super, Rede 21, TV IMPD): insípidas, bregas, chatas, horrorosas, irritantes.

Então, só posso dizer o seguinte: música evangélica, pra mim, entrou na lista dos excessos, livros, podem ser qualquer um, mas de vez em quando, algum evangélico, mas, prefiro um romance de Jorge Amado a qualquer livro da série “Deixados para Trás” ou do Max Lucado.

Toda a teocracia se tornará totalitária, toda a tentativa de homogeneizar a cultura, obscurantista e todo o esforço de higienizar os costumes, moralista.

O projeto cristão visa preparar para a vida. Cristo não pretendeu anular os costumes dos povos não-judeus. Daí ele dizer que a fé de um centurião adorador de ídolos era singular; e entre seus criteriosos pares ninguém tinha uma espiritualidade digna de elogio como aquele soldado que cuidou do escravo.

Levar a boa notícia não significa exportar uma cultura, criar um dialeto, forçar uma ética. Evangelizar é anunciar que todos podem continuar a costurar, compor, escrever, brincar, encenar, praticar a justiça e criar meios de solidariedade, ou seja, viver a sua vida normalmente; Deus não é rival da liberdade humana, mas seu maior incentivador.

Além dos 140 Caracteres: a rede de blogs que vai Além para quem quer ir mais Além.

#JimCarreyHelpsEdu: o desfecho

Senhores, por conta da fraqueza da bateria do meu notebook, amanhã, você lerá por aqui, o desfecho desta novela do Pânico na TV.

Desconsiderem este aviso.

Antes da matéria com o Jim Carrey, a bateria já deu sinais de que tinha que recarregar, mas não podia fazer isso naquela hora, pois já era tarde…

Bom, vamos recapitular o que foi falado por aqui no post passado:

Jim Carrey veio ao Brasil falar sobre o filme Os Pinguins do Papai, que marca o seu retorno às telonas, após um tempinho afastado, se não me engano, foi depois de fazer "O Todo Poderoso”.

Sabendo disso, Eduardo Sterblitch, vulgo Freddie Mercury prateado, Serginho, César Povilho e tantos outros personagens feitos no Pânico na TV, quis conhecê-lo e até, quem sabe pedir um papel num dos filmes do ator.

Então, alguns twitteiros resolveram começar a campanha #JimCarreyHelpsEdu que, como foi dito no inicio, teve mais de 2 milhões de menções e esteve em primeirissimo lugar nos Trending Topics mundiais.

Até Luciano Huck(@huckluciano), entrou na toada: Ele é um grande talento do novo humor nacional.

E agora, será que o Edu vai conseguir?

Eu respondo: sim, ele conseguiu.

Conseguiu conversar com Jim, ainda que não soubesse falar inglês.

Sobre o pedido para atuar no cinema ao lado de Jim, Edu ouviu o seguinte:

“Olha, Edu, não se fazem mais filmes como antigamente em Hollywood, mas quem sabe, um dia…

Bom, outros blogs podem ter sido informado e informado você, caro leitor durante a semana, porém, você, leitor da Rede Além, não iria ficar sem saber desta notícia.

Aqui está o desfecho da história entre Eduardo Sterblitch e Jim Carrey, ns seus vários detalhes.

Rede Além dos 140 Caracteres. A rede de blogs que vai Além, para quem quer ir mais Além.

Twitter Urgente: Campanha nacional coloca membro do Pânico em filme estrelado por Jim Carrey

Uma campanha acabou mobilizando mais de 2 milhões de twitteiros no Brasil e no mundo, inclusive Luciano Huck: #JimCarreyHelpsEdu.

Eu explico: Jim Carrey veio ao Brasil falar sobre o filme Os Pinguins do Papai, que marca o seu retorno às telonas, após um tempinho afastado, se não me engano, foi depois de fazer "O Todo Poderoso”.

Sabendo disso, Eduardo Sterblitch, vulgo Freddie Mercury prateado, Serginho, César Povilho e tantos outros personagens feitos no Pânico na TV, quis conhecê-lo e até, quem sabe pedir um papel num dos filmes do ator.

Então, alguns twitteiros resolveram começar a campanha #JimCarreyHelpsEdu que, como foi dito no inicio, teve mais de 2 milhões de menções e esteve em primeirissimo lugar nos Trending Topics mundiais.

Até Luciano Huck(@huckluciano), entrou na toada: Ele é um grande talento do novo humor nacional.

E agora, será que o Edu vai conseguir?

Bem, eu estou escrevendo, justamente na hora do Pânico, o que quer dizer que tenho que voltar já para o Além do Tempo Real, na hora da matéria com o Edu e a Sabrina Sato.

Então, a Rede Além retorna em instantes, no Twitter e aqui mesmo para o fim desta história.

P.S.: estou torcendo pelo Edu, quem sabe a gente não ovê nas telonas com Jim Carrey?