Posts Tagged ‘ Revista Absurda ’

Blogroll do Além: Televisual, Midia Clipping e Televisionado

Fazia tempo que o Blogroll estava desatualizado, pois é, agora, temos mudanças:

Uma boa, e outra mais ou menos.

A mais ou menos é sobre os nossos parceiros: Microfonia Pop, Revista Absurda e Acesso Livre. Os três blogs vão deixar o nosso blogroll, pois foram promovidos no mês passado ao título de parceiros.

Mas a boa é que quando saem 3 entram mais 3 integrantes, todos eles sobre comunicação:

O primeiro é o Mídia Clipping, que é voltado aos assuntos mais importantes ao mundo da mídia, onde as fontes são colunistas, blogueiros e sites direcionados às notícias midiáticas. Quem quiser conferir, é só acessar: http://midiaclipping.blogspot.com. Direção: Anderson Diniz Bernardo.

O segundo é o Televisionado, de Fernando Morgado, que não fala só de assuntos atuais e apenas da TV, mas de assuntos históricos e de todas as mídias, principalmente, TV e Rádio. Para acompanhar, acesse: http://televisionado.wordpress.com/.

E por fim, o Televisual, por André Luiz Sens, onde você pode ver a arte das vinhetas e da identidade visual de várias emisoras de TV pelo mundo. Se quiser conferir, acesse: http://blogtelevisual.com.

Rede Além dos 140 Caracteres: um blog que vai Além para ajudar outros blogs a irem mais Além.

Anúncios

Parabéns @revistaabsurda!

Esta semana é de festa, pois um dos parceiros da Rede Além completa 1 ano.

Trata-se da Revista Absurda, que como a Rede Além, nasceu no Twitter, sob a alcunha de News Facts Brasil.

E vale relembrar o que eu disse no post sobre o Dia do Amigo:

No meio do ano passado, eu conheci a Revista Absurda, através do próprio blog, então, passei a incluir a Absurda no blogroll(junto com o outro blog do qual vou falar já). Em vez de receber um e-mail, o Além, e eu, fomos homenageados em um dos posts do blog, no mesmo ano, passei a seguir a Absurda no Twitter. Em 2011, já como rede de blogs, o Além criou o quadro Crônicas Além do Absurdo, onde abordamos determinados assuntos sob a nossa ótica, e seguindo à risca, o roteiro original do quadro da Absurda. O autor do blog é de São Luís, mas apesar da distância, estamos juntos por meio de mais esta amizade(parceria).

No ano passado, tivemos muitos assuntos: Copa do Mundo, Eleições, e “otras cositas más”, e nós acompanhamos tudo, porém, cada um no seu canto, fazendo uma cobertura própria.

O Além nasceu em fevereiro e, acompanhou outros assuntos como o carnaval, o BBB.

Agora, a gente comemora com a Absurda, esses 12 meses de muitas notícias, sejam elas boas e ruins.

Que Deus nos conceda a graça de acompanharmos, juntos, outras notícias por mais 1, 2, 3, 4, 5 e muitos e muitos anos.

#ParabensAbsurda1ano!

Esta é mais uma homenagem da Rede Além a um amigo(e parceiro) que nos ajuda a ir mais Além, para quem quer ir mais Além.

Fone de Ouvido: Amy Winehouse

Com certeza, se você é leitor dos nossos parceiros: Revista Absurda e Microfonia Pop, vai estranhar esta coluna na Rede Além, mas esta é uma edição especial.

Como se sabe, a cantora inglesa Amy Winehouse foi encontrada morta em sua casa às 16h (horário de Londres; 12h em Brasília) deste sábado, em Londres.

Amy pode ter morrido por causa de uma overdose, que pode ser confirmada amanhã, na autopsia que será realizada pela Poícia Inglesa.

A cantora tinha 27 anos e possuía um longo histórico de uso de drogas e álcool. Sua única passagem por aqui foi em janeiro deste ano, para uma série de show, que passou por São Paulo, Recife, Florianópolis e Rio de Janeiro.

A última vez que a cantora tinha sido vista em público foi na quarta-feira à noite, quando Winehouse foi ao show de sua afilhada Dionne Bromfield no teatro "The Roundhouse", de Camden Town.

Amy Winehouse junta-se a Janis Joplin, Jimi Hendrix, Jim Morrison e Kurt Cobain, outros ídolos da música pop, graças a uma triste coincidência: todos morreram com 27 anos.

Confira aqui, a biografia de Amy Winehouse:

Filha de um taxista e uma farmacêutica, Amy Winehouse tinha um gosto excepcional pelo jazz. Aos 14 anos, acompanhava o irmão na guitarra e exibia os primeiros trejeitos de uma personalidade inquieta, decorrente em partes da separação dos pais quando tinha nove anos: colocou piercing no nariz, tatuou o corpo e finalmente foi expulsa da Sylvia Young Theatre School, onde estudava. Passou a frequentar outra escola, mas dois anos depois mergulhou na carreira artística. Apresentava-se em diversos clubes, chegando a gravar algumas demos.
O álbum de estreia “Frank”, em 2003, mostrou aos críticos que uma nova diva parecia despontar na música. Amy recebeu quatro prêmios no ano seguinte de melhor música contemporânea (Ivor Novello Awards) por “Stronger Than Me”, melhor artista solo feminina (BRIT Awards), melhor ato urbano (BRIT Awards) e melhor álbum do ano (Mercury Music Prize). Todas as músicas foram escritas por ela e marcadas por voz e estilo – um misto de jazz e hip hop – que impressionaram o público.
Em 2006, a cantora passou por uma mudança no visual. Adotou um penteado retrô, maquiagem marcante nos olhos bem ao estilo dos anos 1960, e roupas mais ousadas que influenciariam inclusive alguns estilistas depois. Seu segundo álbum, “Back to Black”, lançado no mesmo ano, tornaria a cantora famosa mundialmente. Também tornaria público o seu problema com drogas, expresso na música “Rehab” – um verdadeiro sucesso nas paradas pop dos Estados Unidos. Pelo trabalho, foi a primeira britânica a ganhar cinco Grammy Awards, em 2008, na mesma noite. A partir de então, tornou-se atração de eventos importantes como o tributo a Nelson Mandela.
Os problemas mais sérios com drogas impediram Amy de prosseguir normalmente com a carreira. Apresentações desastrosas no palco, uma voz completamente diferente do que o público havia conhecido e uma postura autodestrutiva (a cantora não escondia que tomava diferentes drogas) impediram que o terceiro álbum fosse produzido. Os próprios executivos da gravadora que representava a cantora não aceitaram suas novas canções. Aparentemente recuperada, Amy prometia um novo álbum para 2011. Mas o CD não saiu. A cantora foi encontrada morta em sua casa em Londres em 23 de julho de 2011.

Veja aqui as letras de quatro sucessos de Amy:

Stronger Than Me

You should be stronger than me
You been here seven years longer than me
Don’t you know you’re supposed to be the man
Not pale in comparison to who you think I am

You always wanna talk it through, I don’t care!
I always have to comfort you when I’m there
But that’s what I need you to do, stroke my hair!

Cos’ I’ve forgotten all of young love’s joy
Feel like a lady, and you my lady boy

You should be stronger than me
But instead you’re longer than frozen turkey
Why’d you always put me in control
All I need is for my man to live up to his role

Always wanna talk it through, I’m ok
Always have to comfort you every day
But that’s what I need you to do, are you gay?

Cause I’ve forgotten all of young love’s joy
Feel like a lady, and you my lady boy

He said ‘the respect I made you earn
Thought you had so many lessons to learn’
I said ‘You don’t know what love is, get a grip!’
Sounds as if you’re reading from some other tired script

I’m not gonna meet your mother anytime
I just wanna rip your body over mine
Please tell me why you think that’s a crime

I’ve forgotten all of young love’s joy
Feel like a lady, and you my lady boy

You should be stronger than me
You should be stronger than me
You should be stronger than me
You should be stronger than me  

Back to Black

He left no time to regret
Kept his dick wet
With his same old safe bet
Me and my head high
And my tears dry
Get on without my guy
You went back to what you knew
So far removed from all that we went through
And I tread a troubled track
My odds are stacked
I’ll go back to black

We only said good-bye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to…..

I go back to us

I love you much
It’s not enough
You love blow and I love puff

And life is like a pipe
And I’m a tiny penny rolling up the walls inside

We only said goodbye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to

Black, black, black, black, black, black, black,
I go back to
I go back to

We only said good-bye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to

We only said good-bye with words
I died a hundred times
You go back to her
And I go back to black

Rehab

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black but when I come back you’ll know, know, know
I ain’t got the time and if my daddy thinks I’m fine
He’s tried to make me go to rehab,but I won’t go, go, go

I’d rather be at home with Ray
I ain’t got seventy days
‘Cause there’s nothing, there’s nothing you can teach me
That I can’t learn from Mr. Hathaway

I didn’t get a lot in class
But I know we don’t come in a shot glass

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black but when I come back you’ll know, know, know
I ain’t got the time and if my daddy thinks I’m fine
He’s tried to make me go to rehab,but I won’t go, go, go

The man said, "Why do you think you’re here?"
I said, "I got no idea"
I’m gonna, I’m gonna lose my baby
So I always keep a bottle near

He said, "I just think you’re depressed"
Kiss me, yeah baby and go rest"

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black but when I come back you’ll know, know, know

I don’t ever wanna drink again
I just, ooh, I just need a friend
I’m not gonna spend ten weeks
Have everyone think I’m on the mend

And it’s not just my pride
It’s just ‘til these tears have dried

They tried to make me go to rehab,but I said, "No, no, no"
Yes, I’ve been black and when I come back you’ll know, know, know
I ain’t got the time and if my daddy thinks I’m fine
He’s tried to make me go to rehab,but I won’t go, go, go

You Know I´m No Good

Meet you downstairs in the bar and heard
Your rolled up sleeves and your skull t-shirt
You say what did you do with him today?
And sniff me out like I was Tanqueray

‘Cause you’re my fella, my guy
Hand me your stella and fly
By the time I’m out the door
You’re ten men down like Roger Moore

I cheated myself
Like I knew I would
I told ya, I was trouble
You know that I’m no good

Upstairs in bed, with my ex boy
He’s in the place, but I can’t get joy
Thinking of you in the final throes, this is when my buzzer goes

Run out to meet you, chips and pitta
You say we’ll marry ‘cause you’re not bitter
There’ll be none of him no more
I cried for you on the kitchen floor

I cheated myself
Like I knew I would
I told ya, I was trouble
You know that I’m no good

Sweet reunion, Jamaica and Spain
We’re like how we were again
I’m in the tub you on the seat
Lick your lips as I soak my feet

Then you notice little carpet burn
My stomach drop yeah and my guts churn
You shrug and it’s the worst
To truly stuck the knife in first

I cheated myself like I knew I would
I told ya I was trouble, you know that I’m no good
I cheated myself, like I knew I would
I told ya I was trouble, you know that I’m no good

Com informações do Último Segundo/iG e do Vagalume

Rede Além dos 140 Caracteres: a rede de blogs que vai Além, para quem quer ir mais Além.

Crônicas Além do Absurdo: Edição Especial do Dia do Amigo

Ontem, 20 de julho, foi o Dia Internacional da Amizade, ou, no popular, o Dia do Amigo.

E olha, eu posso dizer que a Rede Além tem quatro bons motivos para seguir em frente:

1 – Papo de Bola – O Site

Eu conheci o Papo de Bola, em 2010, através da coluna mantida no site Na Telinha, daí, passei a acompanhar o site, onde pude ver mais sobre a mídia esportiva e não- esportiva, sobre o futebol e os esportes em geral, e etc… Passei a seguir o editor do site no Twitter, no caso, Edu César,  então, passei a dar ideias, avisar o Edu sobre as colunas, e pedir para ler os meus escritos. Apesar dele ser gaúcho, a distância entre Porto Alegre e Belo Horizonte se torna pequena, graças à essa amizade(parceria).

2 – Revista Absurda

No meio do ano passado, eu conheci a Revista Absurda, através do próprio blog, então, passei a incluir a Absurda no blogroll(junto com o outro blog do qual vou falar já). Em vez de receber um e-mail, o Além, e eu, fomos homenageados em um dos posts do blog, no mesmo ano, passei a seguir a Absurda no Twitter. Em 2011, já como rede de blogs, o Além criou o quadro Crônicas Além do Absurdo, onde abordamos determinados assuntos sob a nossa ótica, e seguindo à risca, o roteiro original do quadro da Absurda. O autor do blog é de São Luís, mas apesar da distância, estamos juntos por meio de mais esta amizade(parceria).

3 – Microfonia Pop

Foi também no meio do ano passado onde fui apresentado ao Microfonia Pop, inclui, então, o Microfonia e a Revista Absurda no Blogroll da rede. Em vez de receber um e-mail, o Além, e eu, fomos homenageados em um dos posts do blog, no mesmo ano, passei a seguir  o Microfonia e o seu autor, Jailson Souza no Twitter. Agora, em 2011, voltando a acessar o Microfonia, um momento de grande emoção: vi a filial do BliG/Wordpress como um dos parceiros do blog. No inicio do mês, pedi para o Jailson reproduzir o post sobre a saga de Eduardo Sterblitch, do Pânico na TV, e fui muito bem atendido. Por estes dois últimos motivos, o Microfonia cresceu no conceito: de mero representante do nosso Blogroll a Parceiro Master da nova rede de blogs do Brasil, além disso, ganhei um amigo arretado, lá da Paraíba!

4 – Acesso Livre

Pra você que eu conheci todos estes amigos(e parceiros) no meio do ano passado, inclusive Yago Sales, que, no Twitter, me pediu para indicar no microblog, e no Além, o Acesso Livre, fiz o que foi pedido e, lógico, ele ficou muito feliz. Hoje, o Yago me segue e o Acesso também é parceiro do Microfonia Pop. O Yago é de Goiânia, mas de que imprta a distância, se estamos juntos em uma parceria(e uma amizade) que informa muita gente?

Esta é uma homenagem da Rede Além aos amigos(e parceiros) que nos ajudam a ir mais Além, para quem quer ir mais Além.